segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Apanhador de Sonhos












by Betha M. Costa

Ouço o som do rio barrento,
Raspar as pedras rugosas,
Fiar de espumas a praia,
E, a toada da chuva fina,
A escorrer nas calhas e folhas.

O cântico secreto das árvores,
Baila e gira-me dentro e fora,
Música soprada pelas frestas,
De cada canto mágico da casa,
Que tem o voo em suas asas...

A insânia dos sinos dos ventos,
Sopra multitons em sinfonias,
Até que o apanhador de sonhos,
Prenda aos fios as sensações,
Em guisas de olhos de lembrar...

*Desconheço autoria da imagem (Google)

Um comentário:

  1. Ficarão as lembranças dentro do poema, e nós viveremos dentro delas.bj.

    ResponderExcluir